Responsabilidade Socioambiental > Meio Ambiente

Meio Ambiente

A Rumo mantém suas operações nas regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste, onde estão localizados importantes biomas brasileiros. Por meio de um sistema de gestão ambiental estruturado com ferramentas próprias, a empresa busca continuamente a excelência ambiental, atuando em conformidade legal e dentro das melhores práticas ambientais. As questões ambientais são acompanhadas através de programas que que visam minimizar impactos inerentes a operação da companhia. São realizados monitoramentos periódicos ao longo de toda a malha ferroviária e complexos operacionais, tais como, monitoramentos da fauna e flora, monitoramento de emissões atmosféricas e ruídos, gestão dos resíduos e tratamento dos efluentes líquidos, avaliação dos processos erosivos e a aplicação de programas de educação e comunicação ambiental. Também todos os anos são realizados investimentos em projetos de melhorias e revitalizações da via permanente, na modernização da frota e em quesitos de segurança operacional que contribuem para as condições ambientais da operação. O Sistema de Gestão Ambiental orienta a atuação da Rumo à conformidade legal e às melhores práticas. O sistema vem se consolidando cada vez mais com o passar dos anos, direcionando as atividades de rotina na operação como também as questões de licenciamento, controles e monitoramento ambiental, entre outros aspectos. Atualmente, a operação da companhia compreende por malhas ferroviárias e terminais. As licenças ambientais de operação são emitidas pelo Ibama e órgãos ambientais estaduais de acordo com a abrangência das atividades. Em atendimento às condicionantes, são elaborados relatórios comprobatórios da execução dos programas socioambientais que demonstram ações para a prevenção e mitigação de eventuais impactos nas operações. Os programas ambientais têm possibilitado a elaboração de estudos para melhor compreensão das relações entre a ferrovia e ambiente ao seu redor, orientando futuros projetos e planos de investimento.

Conformidade Ambiental

O respeito à legislação e normas orienta todas as ações da gestão ambiental da companhia. A Rumo possui procedimento para identificar e ter acesso às leis e demais requisitos aplicáveis, de forma a assegurar a manutenção do sistema de gestão ambiental e conformidade ambiental de suas operações. A empresa monitora as tendências e alterações de requisitos legais e normas técnicas, participando periodicamente de grupos de trabalhos em conjunto com as agências reguladoras, órgão ambientais, Associação Brasileira de Normas Técnicas, entre outras entidades contribuindo para a criação e aperfeiçoamento de leis e normas relacionadas às suas atividades.

Emissões Atmosféricas

A Rumo vem trabalhando no monitoramento e modernização da operação e da frota ferroviária, buscando frequentemente a melhoria da sua performance operacional e ambiental. Está sendo investindo em locomotivas com menor consumo de diesel e menores emissões atmosféricas. As principais emissões monitoradas são material particulado (MP) e gases do efeito estufa (GEE), como CO2, SO2 e NOx medidos a cada dois anos no Inventário de Emissões de GEE. As principais medidas para reduzir esse tipo de impacto são a manutenção e a renovação da frota. O plano de expansão da Rumo iniciado em 2015, prevê investimentos de mais de US$ 1 bilhão na substituição de locomotivas nas bitolas métrica e larga. Em comparação com o modal rodoviário, as emissões atmosféricas da operação ferroviária são proporcionalmente inferiores — para o mesmo volume transportado em 100 vagões, por exemplo, seriam necessários 357 caminhões bitrem.

Em 2014, com apoio de consultoria especializada, foi elaborado um estudo para identificar possíveis ações diretas que resultem na redução das emissões de Gases de Efeito Estufa. A partir disso foi desenvolvido um plano de melhorias da gestão das emissões. Atualmente, são executadas cinco frentes:

  • Renovação de frota ferroviária
  • Melhorias logísticas e investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D)
  • Combustíveis alternativos
  • Aumento no teor de biodiesel
  • Combustível de frota cativa de automóveis

Biodiversidade

O transporte de produtos por ferrovias é uma atividade diretamente ligada à biodiversidade dos locais por onde passam, assim são fundamentais à execução de programas ambientais direcionados ao levantamento e monitoramento do ambiente ao entorno da ferrovia, gerando melhorias em curto, médio e longo prazo.

Os programas ambientais executados pela concessionária visam a harmonia entre a ferrovia e a biodiversidade trazendo ações benéficas para ambas as partes e indicando atividades a serem seguidas. São direcionados pontos de melhorias com foco na fauna local, flora, meio abiótico, qualidade do ar e o bem-estar das comunidades lindeiras.

Entre os diversos programas que possuem foco na biodiversidade, podemos citar:

  • Programa de Monitoramento de Processos Erosivos
  • Programa de Proteção à Flora
  • Programa de Monitoramento de Fauna

Todos os anos a Rumo busca aprimorar as metodologias e equipamentos de coleta e consolidação dos dados por meio dos programas ambientais. Na fauna e na flora a empresa elabora e implementa medidas para a prevenção e mitigação de impactos negativos.

Nos levantamentos os biomas interceptados pela operação da empresa estão o Cerrado (Malha Norte), o Pantanal (Malha Oeste) e a Mata Atlântica (Malhas Sul e a Paulista). Os ecossistemas inseridos nesses biomas abrigam uma vasta variedade de espécies da fauna. Também são exclusivas dessas localidades a flora, com formações muito bem conservadas nas regiões das Serras do Mar nos estados do Paraná e São Paulo.

Monitoramento da Fauna

Em relação à fauna, as malhas ferroviárias de concessão da Rumo contam com o Programa de Monitoramento e Mitigação do Atropelamento de Fauna. O objetivo é propor medidas para a prevenção e minimização de atropelamento da fauna silvestre e doméstica decorrente da operação ao longo da via férrea. Na duplicação da Malha Paulista, entre os municípios de Campinas e Santos, por exemplo, serão implantadas passagens de fauna em locais estratégicos a fim de possibilitar a travessia em segurança dos animais nas áreas onde existe a linha férrea.

Na Malha Norte, durante a sua construção da estrutura da via férrea, foram implementadas cerca de 70 passagens de fauna em pontos sensíveis, cuja eficiência é verificada por meio dos monitoramentos de periodicidade trimestral utilizando câmeras especiais (infravermelho) para registros dos animais que utilizam as estruturas. Demais estudos são realizados para demostrar se as medidas aplicadas são eficazes para os diversos grupos faunísticos.

Proteção da Flora

Os programas de proteção à flora buscam a sustentabilidade do componente florístico nas áreas da ferrovia, de forma que atividades de recuperação, manutenção e controle da vegetação sejam realizadas minimizando os impactos sobre a dinâmica natural das fitofisionomias encontradas ao longo das malhas. Na execução de obras de melhoria na via férreas os impactos ambientais gerados sobre à flora são convertidos em plantios compensatório. São plantios de mudas de espécies nativas que têm a finalidade de promover o restabelecimento e a recuperação dos processos ecológicos de áreas alteradas e degradadas, inclusive em Áreas de Preservação Permanentes (APP) e Unidades de Conservação (UC) entre outras áreas.

No total os programas já realizaram o plantio de mais de 530 mil mudas de espécies nativas, com o acompanhamento para o seu desenvolvimento em diferentes estados e biomas. Estes plantios possibilitaram o início dos processos ecológicos para a recuperação de inúmeras áreas, agregando valores ambientais em locais antes degradados e que não apresentavam nenhuma função ecológica.

A flora foi também utilizada para a minimização de outros impactos intrínsecos da atividade ferroviária e também nas obras da engenharia ferroviária que geram poeira, partículas e emissão de ruído. Para isso são executados o cortinamento vegetal de alguns terminais ferroviários e a utilização de plantios de espécies herbáceas para a mitigação de movimentos de massa em áreas de corte e aterros de novos projetos e locais de reestruturação.

O controle de espécies invasoras também é efetuado com o levantamento das espécies em monitoramentos, que são base na elaboração de planos de ação. O controle atua de maneira a mitigar o desenvolvimento de espécies exóticas e invasoras na faixa de domínio da ferrovia e em locais ambientalmente sensíveis que a mesma intercepta.

Educação Ambiental em Foco

A Rumo investe em programas de educação e sensibilização ambiental voltados às comunidades residentes no entorno da malha ferroviária e aos colaboradores e prestadores de serviço.
As ações buscam aproximar as pessoas da causa ambiental, promovendo o sentimento de pertencimento e proximidade com a natureza, trazendo para o cotidiano dos stakeholders atitudes que colaborem para o uso responsável dos recursos e a proteção do meio ambiente.
São realizadas oficinas de educação ambiental para estudantes do ensino fundamental de escolas públicas, atividades sociais interativas, palestras em empresas e campanhas de educação ambiental não formal (voltadas às comunidades ao entorno das linhas férreas).
A partir de uma avaliação realizada no final de 2014, um plano de ação foi proposto para aumentar a eficiência do programa, garantindo a continuidade das oficinas e a avaliação constante dos progressos. As atividades de educação ambiental estão alinhadas com uma estratégia de comunicação que vai além do objetivo fundamental de comunicar, pois alcançam a finalidade de conectar as pessoas com o ambiente, promovendo uma relação de conhecimento e consequente preservação.
Também foram realizadas diversas ações de educação e comunicação ambiental durante a duplicação da Malha Paulista. Considerando que as obras afetaram algumas regiões sensíveis, como a Vila Natal e a Vila Esperança, no município de Cubatão (SP), o foco foi trabalhar temas locais mais críticos, como segurança ferroviária, ruídos e resíduos.

Manual de Gestão Ambiental de Obras

Fortalecendo o controle dos projetos de expansão e obras de melhoria, foi desenvolvido o Manual da Gestão Ambiental de Obras que estabelece os critérios para o gerenciamento ambiental.
Tem como objetivo orientar sobre as boas práticas ambientais e atendimento a legislação nas obras, demonstrando o compromisso da empresa com o meio ambiente.

Operação Certificada

O Terminal da Rumo em Santos possui certificação ambiental ISO14001 desde 2009, atestando a eficácia do Sistema de Gestão Ambiental. Nos últimos cinco anos, os investimentos diretos em gestão ambiental foram em equipamentos de controle da poluição atmosférica, com a instalação de sistemas de despoeiramento por filtros de mangas instalados em todas as moegas do terminal. Isso demonstra o compromisso em prevenir e reduzir os impactos ambientais. Outros bons exemplos são: o armazém X construído com novas tecnologias de contenção de derrames e emissão de particulado, com esteiras enclausuradas e sistemas de despoeiramento nos elevadores; e a instalação de supressores de pó (DSH) em todos os Shiploaders do terminal, minimizando assim a emissão de particulado durante o carregamento do navio.

Programa de Atendimento a Comunidades Tradicionais

Entre a região da capital e o litoral paulista, são atendidas 12 aldeias indígenas que participam do Plano Básico Ambiental relacionado à duplicação da ferrovia. São sete programas estruturados para atender as demandas de saúde, educação, geração de renda, manutenção cultural e gestão ambiental. Todas as etapas do processo de implementação dos programas são participativas e inclusivas, contando com a presença da FUNAI e especialistas no assunto indigenista para as reuniões e encontros sobre o projeto.